MOSSORÓ DE NOTÍCIAS DESEJOSAS


Não podemos olvidar que a internet, desde o seu surgimento, foi de vital importância para humanidade. Um horizonte que se abriu dentro de um universo de possibilidades. Para a imprensa está sendo um desafio porque ao mesmo tempo que diversificou as vozes matou jornais impressos; na medida em que jornalistas experimentados tiveram que se reinventar e explorar o mundo virtual, coube a esses jornalistas disputar espaços com noviços sem qualquer reputação, conhecimento e, sobretudo, ética.

Com custos irrisórios, você monta um portal de notícias num piscar de olhos. E pode, no piscar de olhos, manchar biografias porque simplesmente não teve o cuidado de checar a veracidade de uma informação. Pior, publicar algo sem ouvir as pessoas supostamente envolvidas. Mas existe um teto para esse jornalismo desejoso que vemos em Mossoró. Notícias falsas podem ser publicadas. Fiquem à vontade. Não deveriam. Terá que provar o gostinho da Justiça!



Lembrei de Togo Ferrário. Quer vê-lo P da vida, não ligue a seta quando devido...




Meu eterno professor na UnP, Glauber Soares - advogado e vice-presidente da OAB (exímio fotógrafo, por sinal), envia-me essa fotografia de Luiz Gomes, tio de sua esposa Milana Gomes. O grande Luizão, 79 anos, é ouvinte da Rádio Difusora e mora em um sítio na zona rural de Angicos. É filho da poetisa Elizabeth Jota, de 96 anos. Abraços aos amigos!



Entrevista com o empresário Luiz Roberto Barcelos, sócio da Agricola Famosa, maior empresa produtora de melão de mundo é maior exportadora de frutas do Brasil, no programa Mundo dos Negócios.


FRASE

"Já me chamaram de corno, viado, ladrão, venal, bandido, canalha, safado etc., respondo há mais de 30 processos, tive filhos ameaçado de violência física e outros cercos. Sobrevivi. Sei quem são os principais envolvidos. Todos baixam a cabeça quando passam por mim em vias públicas ou qualquer prédio. Eu não preciso virar o rosto, simular que olho um celular nem baixar cabeça quando me deparo com eles e seus chefes. Ah, um detalhe: podem printar e espalhar o que posto. Não é segredo, não é particular nem reservado. É para escancarar mesmo. Assumo tudo que escrevo e não me escondo em nomes laranjas ou em páginas fakes."


Jornalista Carlos Santos


EU: (assino embaixo)

18 visualizações0 comentário