Clandestinidade ou morte

Teve festa clandestina ontem em Tibau, por trás do Triângulos Bar. Agora a “Inês é morta”. Só vi a mensagem da denúncia agora de manhã. O mais triste é ver pessoas dotadas de inteligência, discernimento – o que nos diferencia dos animais irracionais – a ter comportamentos suicidas. No Brasil já morreram mais de 460 mil pessoas só em decorrência da Covid-19, mas isso nem sensibiliza mais infelizmente.



UBS ABERTAS

Hoje tem vacinação somente nas UBSs e o município ampliou a vacinação para pessoas com deficiências da faixa de 40 anos ou mais sem BPC, o Benefício de Prestação Continuada.

UBS Vereador Durval Costa – Walfredo Gurgel

UBS Raimundo Renê Dantas – Boa Vista

UBS Dr. Joaquim Saldanha – Estrada da Raiz

UBS Dr. Cid Salém Duarte – Abolição IV

UBS Dr. Sueldo Câmara – Aeroporto 2 (Quixabeirinha)

UBS Francisco Pereira de Azevedo – Liberdade 1

UBS Agnaldo Pereira – Vingt Rosado

UBS Dr. José Fernandes de Melo – Lagoa do Mato

UBS Enfermeira Conchita da Escóssia – Abolição II

UBS Centro Clínico Evangélico Edgard Burlamaqui - Centro

#MossoroVacina #Covid-19



OUTRO PATAMAR

Junho chegando e a conta da energia virá com dessabor vigoroso. Bandeira vermelha patamar 2. O bolso não aguenta!



UMA RUA E NADA MAIS

Batiza uma rua, situada no Loteamento Nova Descoberta no bairro Abolição IV, o nome do ex-deputado e ex-prefeito de Mossoró em duas oportunidades, Antônio Rodrigues de Carvalho. Muito pouco para quem tem uma extensa biografia como político, advogado e médico. Uma curiosidade: o upanemense do Sítio Capim Grosso nasceu no dia da invasão do bando de Lampião a Mossoró, 13 de junho de 1927. Morreu em 2009 em Natal. Citando a fonte, Volume I de Patronos de Mossoró, de Lindomarcos Faustino, páginas 102 e 103. Abaixo, entrevista concedida ao saudoso Dr. Milton Marques de Medeiros, no programa da TCM "Mossoró de Todos os Tempos".







POESIA

Nada vai apagar meu sorriso


Podem ameaçar com as bombas e morteiros

da Marinha americana,

podem roubar meu dinheiro

e chamar os hômes pra me levar em cana.

Nem que as vacas tussam e as porcas torçam seus rabos,

nem que eu seja atacado por mil cachorros brabos,

mesmo que me acusem de tudo que é heresia

e arranquem meu dente de siso

sem anestesia,

nada vai apagar meu sorriso.


Podem ameaçar com o Armageddon

e as trombetas do Juízo Final.

Podem pintar o mar de marrom

e botar dez mil crianças assaltando no sinal,

podem parar o mundo e apagar a luz,

abrir a caixa dos pregos e me pregar na cruz,

podem rodar a baiana, podem soltar a franga,

bordar tudo mais feio que o cão chupando manga,

destruir a ferro e fogo os frutos do paraíso,

nada vai apagar meu sorriso.


Podem sujar a atmosfera

até fazer doloroso o ato de respirar.

Podem abrir a jaula e soltar a besta-fera

com sua boca horrenda para me devorar,

perfurar meus olhos com setas envenenadas

até que fiquem cegos,

me fechar no escuro junto com morcegos,

ratazanas e baratas aladas,

sem nenhum sinal ou prévio aviso,

nada vai apagar meu sorriso.


Entre os campos de batalha dessa guerra infame,

busco trocar amor com quem também me ame.

E sei que a maioria das pessoas são pessoas decentes,

gente do bem trabalhando para criar filhos

e passar sua herança de conhecimentos.

Por isso, quando o trem parece correr fora dos trilhos

e o dragão ameaça cuspir fogo pelas ventas,

eu sei que tudo na vida tem uma explicação

e que existem razões que são estranhas até à própria razão.

Não importa as teias que a aranha teça,

a gente tem que se cuidar pra não virar presa.

Se a aranha tá a fim de te jantar,

você não pode permanecer passivo.

Não apenas navegar, viver também é preciso.

Eu fico mais forte quando penso nisso:

nada vai apagar meu sorriso.


- Mano Melo, em "Poemas do amor eterno". Expressão gráfica e Editora, 2011.



61 visualizações0 comentário